26 de dez de 2010

um calo no dia

soy una flor carnivora

y estoy hambrienta

de tu rosa piel.*


acaba de cravar-se em minha pele

uma flor

que de um tango logo de despe

se elogiada, intumesce

e se roça uma pluma,

desabrocha inteira.

me morde os pelos

os dentes

e já não posso guardar em mim

o que não satisfaço com pele.

ignoro seus desejos

e já muda o gosto

se algum descubro.

não mais me livro

de carecê-la

depois de sorver seus fluidos

agridoces

e se a vejo aberta

orvalhada de pingos multicoloridos

esqueço que me corrói.




*[Disco: “Puntos Cardinales”, Ana Torroja - 1997]

1 de dez de 2010

Pessoa(s)

alguma peça única
sem encaixe
anagrama imperfeito
pessoas mil
num feixe