17 de jan de 2010

ERMO






“Tudo isso é nada

Mas numa estrada
Como é a vida
Há muita coisa
Incompreendida.”
(Fernando Pessoa)

Esse isso apagado,
é Deus disfarçado,
é Deus confundido.
Um anjo encaramujado
é tudo que sobre-restou:
pra vigiar o isso oculto,
o lírico reboto, calado.

Esse isso lume,
é o senhor desse chão,
é a cicatriz do lírico no mar,
é uma saudade-solidão.

Esse isso solidão,
é um isso universo,
que é ele,
que é só,
que é ninguém,
no meio dessa gentarada,
no centro de tudo
na orbe do nada.

3 comentários:

Anônimo disse...

ta de parabens mayjaneeeee,sou sua fã voce sabe neaaah
-lisbelaaa

Anônimo disse...

Eu sou isso!!!

Parabéns menina... muito bom

Alex

Anônimo disse...

MUITO LINDO... '-'

Postar um comentário